Caracterização de sincinesia na paralisia facial







Define-se por sincinesia a ocorrência de movimentos simultâneos ou uma seqüência coordenada de movimentos de músculos inervados por diferentes nervos ou diferentes ramos do mesmo nervo (Torres e colaboradores, 2000).

As sincinesias, de acordo com a literatura, são as seqüelas mais freqüentes encontradas na paralisia de Bell, sendo caracterizadas como movimento involuntário que aparece em associação de um movimento voluntário de grupos musculares independentes. Dentre os tipos de sincinesia pode-se apresentar o fechamento involuntário dos olhos junto com a reação de sorrir, e a sincinesia oral, que o movimento bocal é acompanhado de movimentos da testa ou olhos. Apesar de todos esses movimentos involuntários muitos pacientes tem dificuldade de perceber sua sincinesia, geralmente notam algo errado com os seus movimentos quando se percebem uma reação negativa de um interlocutor, quando o portador da patologia realiza movimentos anormais durante as expressões faciais e acabam involuntariamente tentando prevenir as distorções das mímicas faciais, resultando em uma face de aparência congelada. Sendo assim, há ocorrência de movimentos em massa de todas as expressões faciais como: sorrir, falar, comer, piscar (Freitas, Gomes, 2008).

A deformidade facial e eventos involuntários e indesejáveis comuns na fase de seqüelas não afetam somente a estética facial, mas também o estado psicossocial do paciente, como perda de qualidade de vida, depressão, ansiedade, rejeição e paranóia (Freitas, Gomes, 2008).

Segundo Oda e colaboradores (2002) a plasticidade neural pode ser definida como habilidade de formar novos canais de conexão, pode ser observada após uma desnervação parcial, nessa situação os axônios não atingidos se projetam a uma região parcialmente desnervada, desenvolvendo brotos axonais que crescem e formam novos contatos sinápticos. Os autores também relatam que o SNC do adulto não possui proteínas essenciais para o brotamento axonal, sendo elas: laminina e fibronectina. Além disso, os oligodendrócitos sintetizam glicoproteinas, que anulam o crescimento de neuritos. Essas glicoproteinas são ausentes nas células de Schwann assim permitindo a regeneração do sistema nervoso periférico. O crescimento dos neuritos (axônios ou dendritos) podem ocorrer no SNP (Sistema Nervoso Periférico) por toda a vida, diferente do SNC que ocorre apenas durante a fase de desenvolvimento, pois as bainhas de tecido conjuntivo estão ausentes no sistema nervoso central, as células afetadas são fagocitadas pela micróglia e o espaço liberado pela fagocitose é ocupado pelos astrócitos impedindo o processo de reparação. Assim o dano do SNC é geralmente irreparável. Os autores ainda concluem que a ativação de novas sinapses e o brotamento colateral podem não ser benéficas.

Na literatura são apontadas seqüelas ligadas à regeneração neural, porque as recuperações das fibras nervosas lesadas ocorrem de forma supranumerária e desviada, com falhas na propagação entre axônios adjacentes ou hiperexcitabilidade nuclear. Podem ser observados na seqüela da paralisia facial movimentos incompletos e sincinesias em ação da musculatura facial de testa, olhos, nariz e lábios, também como lacrimejamento excessivo durante atividades de vida diária como mastigação (Freitas, Gómes 2008).

Fonte
Caracterização de sincinesia na paralisia facial Caracterização de sincinesia na paralisia facial Editado por Sua Saude on 04:24 Nota: 5

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.