quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Semiologia da paralisia facial







Paralisia central = lesão cruzada- paralisia ou paresia da musculatura da parte inferior da face- assimetria dos traços fisionômicos, desvio da rima bucal para o lado são- paralisia central da hemiface, da hemilíngua, do hemivéu, característica básica- musculatura da parte superior da face menos afetada que a da parte inferior = o doente consegue fechar o olho do lado comprometido;

Paralisia periférica = lesão direta- paralisia ipsilateral de toda a musculatura da face: superior e inferior, lagoftalmia (impossibilidade do indivíduo em fechar o olho acometido pela paralisia facial, permanecendo o mesmo aberto, desviado para cima e para dentro), hiperacusia desagradável, abolição das secreções lacrimais e salivares. A rima é puxada sempre para o lado não paralisado. As lágrimas escorrem por paralisia do músculo de Horner (epífora).Em termos semiológicos, a chamada paralisia facial de Bell deve ser distinguida da paralisia facial central (paralisia facial de Toddy).

Na paralisia facial de Bell ocorre paralisia de toda a musculatura da face do paciente (superior e inferior), com lafgoftalmia. Na paralisia de Toddy, verifica-se paralisia da musculatura da parte inferior da face, inexistindo lagoftalmia (o paciente pode fechar os olhos espontaneamente). Na paralisia de Bell, a lesão do nervo facial é direta e o paciente exibe desvio da comissura labial para o lado contralateral da lesão periférica do nervo facial e da lagoftalmia.

Na paralisia de Toddy, o acometimento do nervo facial é cruzado, e o paciente apresenta desvio da comissura labial para o lado homolateral à lesão central do nervo facial. Guillain-Barré = paralisia periférica bilateral.

Um comentário:

  1. Na teoria parece que tudo tem solução mas o que é certo é que ainda não recuperei a sensibilidade do mento, lábio inferior e gengiva devido a uma intervenção às ATMs. E já lá vão 2 longos anos e 6 longos meses... O cirurgião apenas diz que é a 1ª vez que tem um caso semelhante e não consegue perceber o porquê desta parestesia prolongada e hipersensibilidade da raiz dos dentes inferiores. Cerca de 60 sessões de laserterapia, outras tantas de massagem e osteopatia e claro toda a panóplia de vitamina do complexo B não fizeram qq diferença. Gostaria de saber se alguém já passou por parestesias hiperprolongadas (superiores a 2 anos) e se conseguiram recuperar ou melhorar com algum tratamento. Obrigada. linah@iol.pt

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...